fbpx

Mogianos falam de inovação na política, no Senado Federal

Dois mogianos estão em Brasília, participando da 11ª edição do Engitec, evento que ocorre anualmente na Capital Federal, promovido pelo Interlegis, ligado ao Senado Federal, o qual tem como objetivo unir inovações tecnológicas às rotinas do ambiente legislativo.

O encontro, que reúne representantes de todo o País, quer mostrar, por meio de palestras e apresentações de expositores especialmente convidados, que o conceito de inovação não está obrigatoriamente ligado à Tecnologia da Informação, mas também pode ser encontrada nos processos de trabalho ou nos serviços prestados aos cidadãos. A inovação pode ser igualmente um processo de ideias, de soluções, que envolve e depende das pessoas, indo muito além da tecnologia.

O vereador Caio Cunha (PV) e o publicitário, palestrante e escritor, Pedro Ivo de Moraes – filho do professor e historiador Mário Sérgio de Moraes –, participam, ontem e hoje, do Engitec abordando temas específicos. Caio tem a fala baseada no seu modelo de mandato colaborativo e participativo, que tem sido referência para muitos políticos de vários estados. Caio defende que a transformação da política do Brasil começa nas cidades, com a participação efetiva das pessoas. Algo que questiona o formato convencional de democracia representativa e que aponta o surgimento de novos indivíduos políticos para a construção de uma nova forma de fazer política.

Já Pedro Ivo defende o uso do autoconhecimento como ferramenta de transformação. Para ele, não há outra maneira de transformar pessoas que não comece pela via de conhecer a si mesmo para depois conhecer e se relacionar com os outros e, somente assim, praticar a verdadeira política. Pedro Ivo promete um dia de vivências usando conceitos e ferramentas de autoconhecimento, praticando um novo e respeitoso olhar sobre pessoas, suas sombras e suas essências. Autor do livro “Empresas Espiritualizadas”, Pedro estreia no Engitec, enquanto Caio retorna ao evento, após ter participado da décima edição, no ano passado.

 

 

Fonte: O Diário de Mogi

20.11.2019

Caio Cunha quer que câmeras de estabelecimentos sejam integradas ao sistema de segurança pública municipal

 

O projeto tem como objetivo ampliar pontos de monitoramento por meio de parceria com o setor público e privado.

 

O vereador Caio Cunha (PV) apresentou, na sessão da quarta-feira (12), um projeto de lei que visa ampliar a estrutura do sistema de segurança pública do município de Mogi das Cruzes por meio da integração entre a Central Integrada de Emergências de Segurança Pública (CIEMP), operada pela Guarda Municipal, e as câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais e residenciais. A propositura, denominada “Mogi mais segura”, define que os critérios para a contrapartida ao setor privado e à sociedade civil deverão ser definidos pelo Executivo.

O projeto tem como principal objetivo facilitar para os trabalhos de segurança pública o acesso a imagens, uma vez que qualquer pessoa física ou jurídica poderá, por meio de um termo, ajudar a CIEMP fornecendo imagens de câmeras que facilitarão a ampliação do controle feito pela Guarda Municipal. “O grande intuito é, além de criar uma parceria, evitar a burocracia da máquina pública. Isso poderá ampliará os pontos de monitoramento e a facilidade para proteger nossos munícipes e contribuir em investigações”, concluiu o vereador.

A guarda municipal opera 24h por dia e, segundo a prefeitura, trabalha com cerca de 300 câmeras no município. Segundo o balanço divulgado pela Secretaria de Segurança Pública, no mês de junho de 2017 foram registrados 253 furtos, um ano depois, em junho de 2018, foram registradas 293 ocorrências, representando um aumento de 15,81%. O parlamentar ainda ressaltou que o projeto contribuirá na investigação de casos como vandalismo, pichações, e ainda auxiliará os órgãos competentes em seus processos de investigação no território municipal.   

 

Caio Cunha compartilha experiências em evento da Fundação Lemann

12/08/2019

O vereador Caio Cunha foi convidado pela fundação Lemann a palestrar no painel chamado Política nos Municípios. Em sua palestra, Caio, pôde compartilhar sua experiência de mandato colaborativo e a metodologia que desenvolveu, junto à prefeita de Caruaru, Raquel Lyra e o ex-prefeito de Sobral, José de Arruda (professor Veveu), que conseguiu o índice fantástico no Ideb de 8.8.

Compartilhando experiência

Caio falou sobre a metodologia do mandato colaborativo, desenvolvida e aplicada em sua gestão como vereador no município de Mogi das Cruzes desde 2013, tendo como intuito o engajamento das pessoas para uma política transformadora através da rede 300, criada em seu primeiro mandato.

 Sobre o evento

O evento reúne talentos que fazem parte da rede Lemann em áreas como: educação, saúde e sustentabilidade, entre outros segmentos, e este ano, além da presença de Jorge Paulo Lemann, presidente da fundação, conta com os seguintes convidados: Rodrigo Maia (DEM-RJ), Marina Silva (REDE), Felipe Rigoni (PSB-ES) e Alessandro Molon (PSB-RJ), além de outros integrantes ativos na política brasileira, discutindo ideias e traçando o país do futuro.
Segundo o vereador, “além de oferecer oportunidade de formação e capacitação, a Lemann funciona, também, como uma rede colaborativa de talentos”.

 

 

Desenvolvimento de ferramentas anticorrupção em Hackathon

Evento deverá envolver profissionais de tecnologia em uma maratona de mais de 20 horas com o objetivo de criar ferramentas, aplicativos e plataformas para trazer mais transparência ao uso do dinheiro público.


Uma maratona para desenvolvimento de ferramentas digitais contra a corrupção deverá acontecer em Mogi das Cruzes entre o final do mês de maio e o início do mês de junho. A realização do evento está sendo articulada pelo vereador mogiano Caio Cunha (PV), que se reuniu com o vereador da cidade de São Paulo, José Police Neto (PSD), para discutir as tratativas sobre o 1º Hackathon Anticorrupção de Mogi das Cruzes, uma vez que o parlamentar paulistano já realizou projeto semelhante.


O evento deverá reunir programadores e outros interessados em tecnologia, que se dividirão em equipes para, durante mais de 20 horas ininterruptas, criar ferramentas, aplicativos e plataformas digitais que usem dados abertos, com o objetivo de trazer mais transparência ao uso do dinheiro público e, dessa forma, combater a corrupção. Caio apresentará um requerimento solicitando que a maratona seja realizada no Plenário da Câmara Municipal de Mogi das Cruzes.


Segundo Caio Cunha, a parceria com o vereador da cidade de São Paulo, José Police Neto (PSD), está sendo articulada pois o parlamentar paulistano é referência nesse assunto. “Esse tipo de maratona, conhecida como hackathon, é popular na área da tecnologia. Diversas ferramentas digitais surgem de eventos como esse. Acredito que é possível aplicar essa experiência para incentivar a transparência no poder público. No ano passado, o vereador Police Neto realizou um hackathon anticorrupção na Câmara de São Paulo. Importantes ferramentas foram criadas. O vereador da capital é uma parceria fundamental para realizar uma maratona semelhante na nossa cidade”, defende Caio. O parlamentar mogiano também deverá apresentar um projeto de lei criando a Política Municipal de Combate à Corrupção, inspirado na propositura apresentada por Police Neto na capital paulista.


No evento realizado em 2017 e coordenado por Police Neto, os finalistas foram as ferramentas Specula, que encontra incongruências em prestações de contas públicas, prevenindo superfaturamentos; Luppa, que compara compras do poder público com o valor de mercado; Quebrando Barreiras, que desenvolve análises de fácil compreensão das contas públicas; Sheeps Innovation, voltada a identificar comportamentos de políticos propensos à corrupção e a Águia SP, cujo objetivo é descobrir e catalogar os preços pagos pela Prefeitura em produtos e serviços.


Hackathon

O hackathon consiste em uma maratona para acelerar o desenvolvimento de ferramentas digitais por equipes multidisciplinares ligadas à tecnologia. De modo geral, os participantes passam um fim de semana ininterrupto desenvolvendo os produtos. É um tipo de evento bastante popular na área do desenvolvimento tecnológico.

Geraldo Rufino participa de evento gratuito organizado pelo Movimento Jeito Startup

Geraldo Rufino, Caio Cunha e Maike Robert estão confirmados no evento que visa abordar o empreendedorismo no tempo de crise e que acontece na Universidade de Mogi das Cruzes.

 

Acontece hoje, às 19h, na Universidade de Mogi das Cruzes o evento “Empreendedores Fodas”, organizado pelo Movimento Jeito Startup, com objetivo de trocar experiências e falar sobre pessoas que estão engajadas em empreender mesmo no momento de crise que o país enfrenta.

O evento será uma mescla de palestras e painel com interação do público. Entre os palestrantes está Geraldo Rufino que contará como foi de catador de lixo reciclável a presidente da JR Diesel, cujo faturamento chega a mais de 50 milhões por ano. Caio Cunha, líder do Movimento Seja e atual candidato a Deputado estadual, falará sobre os desafios para despertar a consciência cidadã e sobre como foi eleito vereador mais votado do Alto Tietê com uma campanha de baixo custo e como inovou no mandato tornado sua metodologia colaborativa e participativa referência em todo o Brasil. Outro palestrante que também marcará presença é Maike Robert, cofundador do AppTicket, startup que conecta organizadores de eventos ao seu público, e do Alto Tietê Valley, a comunidade de startups da nossa região. Robert é também o idealizador do Movimento Jeito Startup, que busca incentivar as pessoas a investirem em suas ideias.

Com entrada gratuita, o evento acontecerá no Auditório do Centro Cultural da Universidade de Mogi das Cruzes, localizada na Av. Cândido Xavier de Almeida Souza, 200. Os interessados poderão garantir sua inscrição pelo link https://jeitostartup.com.br/rufino. As vagas são limitadas.   

 

Vereador é convidado a participar da plataforma “Mandato Digital”

Parlamentar será um dos primeiros políticos do Brasil a utilizar o sistema online

O vereador de Mogi das Cruzes Caio Cunha (PV) foi convidado a participar da plataforma digital “Mandato Aberto”, da empresa AppCivico. O parlamentar será um dos primeiros políticos do Brasil a utilizar o sistema online, que tem o objetivo de aproximar cidadãos, sociedade e política por meio da tecnologia.

O "Mandato Aberto", que foi colocado em prática nesta quinta-feira (1° de março), é um sistema de relacionamento com cidadãos, facilitando o contato do munícipe com o vereador e promovendo um diálogo rápido e transparente.

Junto ao verde, também foi selecionado o vereador Gustavo Bonafé, de Poços de Caldas, que faz parte da rede de mandatos colaborativos criada por Caio, bem como as parlamentares de Belo Horizonte, Cida Falabella e Áurea Carolina.

Já nos próximos dias, Caio passa a utilizar a nova ferramenta de contato com os mogianos, sendo o primeiro político da região a participar do trabalho pioneiro da AppCivico.

“Fomos selecionados para ser parte da primeira leva de políticos que receberão acesso à plataforma, para implementar no nosso principal canal de comunicação, o Facebook. Nessa fase, os mandatos selecionados irão testar a plataforma e sugerir aprimoramentos para que, assim, a ferramenta possa ser disponibilizada para os políticos em geral. O uso da tecnologia será voltado inteiramente à promoção da democracia”, afirmou.

Caio ainda salienta que é uma oportunidade singular em seu mandato, uma vez que a plataforma vai ao encontro de sua atuação em Mogi das Cruzes. “Aqui na cidade, trabalhamos pautados na transparência e na participação popular. Tanto que as ferramentas tecnológicas, como as redes sociais, são nossas principais vias de comunicação. Com o ‘Mandato Aberto’, acredito que estaremos somando forças e trabalhando com um único objetivo: fortalecer a participação das pessoas na política”, concluiu.