Caio Cunha quer que câmeras de estabelecimentos sejam integradas ao sistema de segurança pública municipal

 

O projeto tem como objetivo ampliar pontos de monitoramento por meio de parceria com o setor público e privado.

 

O vereador Caio Cunha (PV) apresentou, na sessão da quarta-feira (12), um projeto de lei que visa ampliar a estrutura do sistema de segurança pública do município de Mogi das Cruzes por meio da integração entre a Central Integrada de Emergências de Segurança Pública (CIEMP), operada pela Guarda Municipal, e as câmeras de segurança de estabelecimentos comerciais e residenciais. A propositura, denominada “Mogi mais segura”, define que os critérios para a contrapartida ao setor privado e à sociedade civil deverão ser definidos pelo Executivo.

O projeto tem como principal objetivo facilitar para os trabalhos de segurança pública o acesso a imagens, uma vez que qualquer pessoa física ou jurídica poderá, por meio de um termo, ajudar a CIEMP fornecendo imagens de câmeras que facilitarão a ampliação do controle feito pela Guarda Municipal. “O grande intuito é, além de criar uma parceria, evitar a burocracia da máquina pública. Isso poderá ampliará os pontos de monitoramento e a facilidade para proteger nossos munícipes e contribuir em investigações”, concluiu o vereador.

A guarda municipal opera 24h por dia e, segundo a prefeitura, trabalha com cerca de 300 câmeras no município. Segundo o balanço divulgado pela Secretaria de Segurança Pública, no mês de junho de 2017 foram registrados 253 furtos, um ano depois, em junho de 2018, foram registradas 293 ocorrências, representando um aumento de 15,81%. O parlamentar ainda ressaltou que o projeto contribuirá na investigação de casos como vandalismo, pichações, e ainda auxiliará os órgãos competentes em seus processos de investigação no território municipal.