Partido Verde retifica declaração de bens de Caio Cunha ao TSE

Coligação cadastrou, erroneamente, a declaração de bens do candidato ao Tribunal Superior Eleitoral.

 

O Partido Verde retificou junto à Justiça Eleitoral a declaração de bens do vereador mogiano e candidato a deputado estadual, Caio Cunha, para a campanha deste ano. No site da divulgação de candidaturas do Tribunal Superior Eleitoral, constava a informação de que Caio possui um valor total de foi R$ 970.676,38 em bens. Segundo o vereador, houve a troca da documentação pela de outro candidato, na hora do cadastramento realizado pela coligação. Ele usou as redes sociais para esclarecer o equívoco. “O que aconteceu, na realidade, é que houve um erro no cadastramento. O responsável pelo cadastro dos documentos na coligação a qual o Partido Verde integra trocou a minha declaração de bens pela de outro candidato ao inserir os dados no sistema do TSE”, explicou.

O candidato ainda ressaltou que lhe seria impossível adquirir a riqueza que a declaração de bens indicou ter, sendo ele vereador.  “Apesar de que conquistar bens de forma lícita não é ilegal, crescer absurdamente o patrimônio em dois anos seria, no mínimo, estranho”, comentou ao recordar que sua declaração correta corresponde a pouco mais de 10% do valor indicado pelo TSE.

Com a informação corrigida, os bens do candidato são dois veículos, além de dinheiro em espécie. Os carros são um Fiat Mobi financiado e um Renault Clio do ano 2010. O valor do dinheiro em espécie são provenientes da venda do carro (Clio) e economia feita para a campanha.  “O Renault Clio foi vendido no valor que informa a declaração, e essa quantia foi somada ao dinheiro em espécie. Porém, o veículo consta como meu porque a documentação ainda está no meu nome”, finalizou.